A Páscoa é símbolo de recomeço. Tanto na tradição judaica, onde a Pessach celebra a libertação e saída do povo hebreu do Egito, quanto na tradição cristã da ressurreição e superação da morte, a superação e recomeço estão marcados nessa data.

Vivemos um momento particular no tocante aos desafios impostos pela crise de saúde do Covid 19. A projeção de crise econômica gerada pelo isolamento social, trará novas exigências em termos de inovação e superação de dificuldades. Nesse cenário, a aplicação da metodologia de Change Management, para comunicar as mudanças na estratégia diante da nova realidade, se mostra mais relevante que nunca.

Apresentamos a seguir, a tradução de um texto publicado no HUCMI pelo professor André Luiz Dametto, Professor de Gestão Estratégica de Pessoas do MBA em Engenharia da UFRJ.

O uso da competência Gerenciamento de Projetos é cada vez mais comum nas organizações. Muitas empresas incorporaram essa disciplina de gerenciamento como uma maneira de inovar seus processos de negócios, produtos e modelos de liderança.

Embora tenha ocorrido um progresso notável em ferramentas técnicas, como cronogramas e orçamentos, a maioria dos projetos ainda termina tarde e custa mais do que o orçamento inicial. Segundo uma pesquisa do Instituto Stevens, 85% dos projetos não cumprem o prazo, 70% superam o custo esperado e taxas de 200 a 300% não são incomuns. Como os projetos ainda mostram muitas falhas, dada a existência de tantas ferramentas técnicas e gerenciais? A pergunta já traz parte da resposta: todos sabemos que os projetos são feitos por pessoas e para pessoas; então, espera-se que os fatores humanos sejam a principal alavanca ou entrave no gerenciamento de um projeto.

imagem by freepik.com

Segundo outra pesquisa do Instituto Brasileiro de Gerenciamento de Projetos, a principal causa de problemas nos projetos é a falta de comunicação, atingindo 76% dos projetos analisados. Dada a importância do fator humano (conhecido como aspectos flexíveis), é importante que ele seja gerenciado, bem como as questões técnicas (os aspectos difíceis) nos projetos.

A fim de equilibrar fatores rígidos e flexíveis no Gerenciamento de Projetos, o Gerenciamento de Mudanças aparece como a competência (conhecimentos, atitudes, práticas e ferramentas) para atingir e exceder os objetivos do projeto e transformar a adversidade em oportunidade. Dentre essas “práticas de gerenciamento equilibradas”, destacam-se: mapear as pessoas afetadas pela mudança (partes interessadas), identificar e preparar o principal apoiador mais adequado para envolver essas partes interessadas, além das atividades de comunicação, treinamento e alinhamento, constantes em todas as fases do projeto.

Uma dica para começar a incorporar essa habilidade na vida cotidiana é reconhecer a mudança como um processo, entendendo que sua implementação é apenas a parte final da transição. Antes disso, existem duas outras fases fundamentais: o reconhecimento da necessidade de mudança e seu diagnóstico. Essa análise é feita em relação a aspectos como pessoas envolvidas, grau de resistência, velocidade de evolução necessária, entre outros tópicos. Assim como um avião precisa de combustível (força positiva) e contra o vento (força negativa) para decolar, é somente nessas “forças de campo” que as mudanças organizacionais serão sustentadas. Outra recomendação é avaliar se as forças positivas substituem as forças negativas.

Os resultados do investimento nos esforços de Gerenciamento de Mudanças são notórios. Segundo a consultoria britânica Changefirst, para cada US $ 1 investido, há um retorno médio de US $ 6,50. A pesquisa Melhores Práticas em Gerenciamento de Mudanças revelou que 95% dos projetos pesquisados ​​afirmam ter atingido ou excedido as metas ao realizar um gerenciamento de mudanças bem estruturado, em comparação com 16% do sucesso do projeto sem esse cuidado. E você, ainda está resistindo a contar com o poder do Gerenciamento de Mudanças em seus projetos?

Garanto que será um dos investimentos mais importantes em gerenciamento que você já fez. Transforme sua história!

Como sua empresa está se preparando para aplicar os pivôs necessários na estratégia para a nova realidade?

Fonte:

https://www.hucmi.com/wp-content/uploads/2013/08/Change-Management-how-to-turn-adversity-into-opportunity-and-create-new-value-in-projects.pdf

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link
Powered by Social Snap