Apresentamos a seguir, o último texto da tradução de um estudo publicado pela AWA (Advance Workplace Associates) sobre Aptidão Cognitiva. Cobriremos neste post estímulos ao cérebro e a construção do pensamento.

Boa leitura.

É verdade que quanto mais você usa seu cérebro, melhor ele funciona? Nós “usamos ou perdemos”?

Pesquisas que analisam o impacto de um trabalho mentalmente exigente mostram que ele realmente tem um efeito benéfico. Empregos cognitivamente exigentes e variados, oferecendo a oportunidade de aprender coisas novas ao longo do tempo, podem aumentar o desempenho mental e possivelmente reduzir o efeito do declínio cognitivo relacionado à idade.

Tem que estar relacionado ao trabalho?

Isso também se aplica às atividades não ocupacionais – e não se restringe apenas ao ambiente de trabalho. No entanto, não basta apenas buscar hobbies e atividades que não são particularmente exigentes – o envolvimento não é suficiente – precisamos continuar aprendendo mais e dominando mais tarefas e habilidades para que haja uma diferença mensurável.

Denise Park, pesquisadora principal e cientista psicológica da Universidade do Texas, disse em uma publicação: “Quando você está dentro da sua zona de conforto, pode estar fora da zona de aprimoramento.” É algo para dar a todos nós pensarmos!

Portanto, embora seja exigente o aprendizado de uma nova habilidade, como fotografia digital ou acolchoado (tocar na memória de trabalho, na memória de longo prazo e em outros processos cognitivos de alto nível). Simplesmente fazer palavras cruzadas, por exemplo, não nos exercita no mesmo grau e, portanto, a melhoria é muito menos marcante.

Ter um estilo de vida intelectualmente engajado e fisicamente ativo promove o envelhecimento cognitivo saudável – algo que é importante para todos nós, pois vivemos mais e provavelmente desejamos ser produtivos nos anos posteriores.

Plasticidade Cerebral

Nossos cérebros demonstraram ser de natureza plástica, para que possam continuar a crescer ou pelo menos ser mantidos, dadas as condições e estímulos corretos. Se pararmos de usar processos cognitivos específicos, isso poderá resultar em “desperdício”. Se nos sujeitarmos a algumas atividades cognitivas desafiadoras, isso ajudará a manter ou melhorar nossas habilidades.

Então, o que você pode fazer para melhorar o desempenho cognitivo?

Aqui estão algumas dicas:

– Esteja atento à natureza do seu trabalho, às exigências que ele impõe ao seu cérebro (e suas habilidades), ao grau de dificuldade a que você está exposto e tenha a oportunidade de se envolver em novidades (novas ideias, abordagens, influências e atividades). Até certo ponto, isso se vincula à nossa pesquisa sobre produtividade do trabalhador do conhecimento, onde um dos fatores importantes é a “comunicação externa” – reforçando a ideia de que a variedade e a exposição a novas / diferentes fontes de ideias e pessoas são positivas para apoiar e melhorar seu desempenho.

– Se você está frequentemente entediado com seu trabalho, isso não apenas é um desperdício de seu tempo e talentos. Basicamente você está permitindo que seu cérebro “morra aos poucos” por não usá-lo bem. Procure oportunidades de autodesenvolvimento, aprenda novas habilidades e realize novas tarefas sempre que possível

– Pratique novos hobbies que te desafiem, pois esses são os que geram mais benefícios. Aprenda um novo idioma ou toque um instrumento; faça uma atividade desafiadora como cantar (difícil de fazer bem!) ou um esporte como o golfe.

Lembre-se de que a pesquisa mostra que os idosos relatam que têm menos acesso ao treinamento ocupacional e menos oportunidades para aprender novas habilidades. Não deixe isso acontecer com você!

Treinamento e desempenho cognitivo

Existem muitas afirmações de que o treinamento cognitivo / de memória é eficaz para melhorar vários aspectos da maneira como nosso cérebro humano funciona. Seja nossa capacidade de lembrar, tomar decisões, prestar atenção e fazer coisas com velocidade e precisão.

A maioria das pesquisas nessa área tem se concentrado em crianças, idosos ou pessoas com comprometimento cognitivo leve – mas mostra que funções como a capacidade de memória de trabalho são plásticas e que esse tipo de treinamento explora esse potencial.

Isso me ajuda a fazer outras coisas?

Os pesquisadores concluíram que o uso do treinamento por um tempo, pode resultar em alterações na estrutura e função do cérebro e que essas alterações podem ter um efeito geralmente positivo nas atividades cognitivas (da mesma maneira que o exercício físico pode aumentar a aptidão cardiovascular).

Meditação e Atenção Plena – Mindfullnes

Pesquisas recentes demonstraram que técnicas de relaxamento como o mindfullness (uma técnica de meditação destinada a focar a mente no momento presente) podem estar associadas a melhorias na memória de trabalho e atenção executiva (tomada de decisão), mas não sabemos ao certo por que isso ocorre. Pode ser que essas técnicas reduzam o estresse e aumentem a resiliência. Outra teoria é que essas técnicas envolvem auto regulação (sua capacidade de manter o foco e a atenção) e atitude (você está essencialmente aberto à experiência) – de modo que, se você acredita que a técnica pode / funciona, você pode dedicar esforço e energia suficientes para a experiência, ela se torna eficaz. Como outro exemplo, as pessoas com baixa capacidade de memória de trabalho são mais propensas a sofrer de pensamentos emocionalmente intrusivos e são menos bem-sucedidas em suprimir emoções, portanto, o desenvolvimento de uma abordagem mais focada pela atenção / meditação pode ser benéfico.

Então o que você pode fazer?

Se você está aberto à experiência da atenção / meditação, existem muitos livros, cursos e aplicativos para ajudá-lo a encontrar algo que funcione para você. Faça uma pesquisa sobre as ferramentas disponíveis – elas não são para todos e isso pode variar de acordo com sua própria saúde e situação, mas você pode encontrar algo que lhe convém.

Esses métodos podem ser úteis se você tiver dificuldade em se concentrar, focar e manter a clareza de pensamento durante tarefas complexas e exigentes, e / ou se sentir ansiedade e estresse. No entanto, não pense que eles são uma alternativa para lidar com, por exemplo, uma carga de trabalho particularmente exigente – se você estiver sobrecarregado, seria obviamente melhor lidar com isso na fonte, se possível.

Vale a pena explorar outras opções em torno do treinamento cognitivo, se você estiver ciente de que possui problemas específicos com processos específicos, como memória. Existem ferramentas disponíveis que medirão sua cognição e oferecerão treinamento para melhorar cada área. Alguns até respondem ao seu próprio progresso ao longo do tempo e se adaptam para focar em áreas de fraqueza.

Imagem by freepik.com

Como seu escritório apoia seu desenvolvimento cerebral e cognitivo? Existe espaço para meditação ou políticas de Gestão de Capital Humano que promovam técnicas de relaxamento ou mindfullness?

Entre em contato para saber como podemos ajudar.

Fontes:

www.advanced-workplace.com/cognitive-fitness-15-meditation-mindfulness/

www.advanced-workplace.com/cognitive-fitness-13-use-or-lose/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share via
Copy link
Powered by Social Snap