Meeting the Staff

Workplace Strategy Trends

Seu escritório como catalisador de cultura, performance e engajamento

Estamos em meio a um processo de mudança social jamais observado. São cada vez mais comuns os métodos de gerenciamento que reconhecem as necessidades holísticas das pessoas e buscam fomentar o melhor resultado e desenvolvimento dos indivíduos e de suas organizações.

Como atender aos talentos das novas gerações? Quais as ferramentas de suporte tecnológico, físico, cognitivo e emocional adequados às demandas particulares destes indivíduos? Se você espera resultados extraordinários, oferece ferramentas equivalentes ao potencial de sua empresa e equipe?

 
 
  • Rodrigo Calazans

A Plaza - Uma aplicação de "Third Place" dentro do escritório.

Atualizado: 28 de Abr de 2019

Em 1989 o sociólogo americano, Ray Oldenburg cunhou o termo “Third Place” ou Terceiro espaço em seu livro “The Great Good Place”, ainda sem tradução para o português. Ele definiu o lar como primeiro espaço de convivência e o trabalho como o segundo para o indivíduo médio.


“Third places” são aqueles lugares em que não estamos nem casa e nem trabalhando. Clubes, bares, associações e grupos religiosos são exemplos de situações em que a socialização e a convivência são o objetivo principal. Hoje estes espaços assumem um papel muito maior em nossas vidas e na definição de quem somos. Para alguns indivíduos, os “third places” tornaram-se, de fato, uma necessidade.


Os terceiros lugares também são singulares no conceito de desenvolvimento de ambientes de trabalho porque unem gerações muito mais do que outros ambientes.

Segundo o site americano embracetheplace.com, os “third places” têm características comuns:


1 – Representam uma experiência pessoal

“Third places são pessoais, mas não necessariamente em nível individual. É a experiência que é pessoal.”


2 – Preenchem uma necessidade pessoal

“Às vezes a necessidade é de interação social. Às vezes a necessidade é de criatividade. Outras vezes fica em torno do bem-estar pessoal. Pode ser a necessidade de realização ou descontração.”


3 – Nos tiram de casa e do trabalho e são tão importantes quanto os primeiros, por que definem quem somos:

“Nós permitimos que os Third places” nos definam. Uma geração atrás, Joe era o contador do terceiro andar.” Hoje, Joe é “o cara presidente do Harley club.”


4 – Têm função pessoal para cada um de nós

“Precisamos das experiências que os “third places” nos proporcionam. Se gostamos da Liberdade e caminhadas ou ciclismo, é razoável entender que os benefícios do exercício nos agradem e como resultado seja valoroso para nós.”


5 – Ficam à nossa disposição

“Os compromissos ficam menos importantes – e pressionam menos.”


A Herman Miller apresenta em seu conceitual Living Office, a opção de montagem de uma Plaza. A Plaza suporta a integração social entre os colaboradores, tanto para um café pela manhã, uma reunião ao longo do dia ou um momento de descontração ao final do expediente.


Seu escritório oferece espaços que suportam a interação social e mesmo os assuntos fora da esfera profissional?


fonte: https://www.hermanmiller.com/en_apc/stories/why-magazine/work-in-progress/

Placemaking - Plaza by Herman Miller

Laptop & Coffee

Vamos marcar um café?

Um café e boa conversa, sempre fazem bem.

São Paulo - SP