Meeting the Staff

Workplace Strategy Trends

Seu escritório como catalisador de cultura, performance e engajamento

Estamos em meio a um processo de mudança social jamais observado. São cada vez mais comuns os métodos de gerenciamento que reconhecem as necessidades holísticas das pessoas e buscam fomentar o melhor resultado e desenvolvimento dos indivíduos e de suas organizações.

Como atender aos talentos das novas gerações? Quais as ferramentas de suporte tecnológico, físico, cognitivo e emocional adequados às demandas particulares destes indivíduos? Se você espera resultados extraordinários, oferece ferramentas equivalentes ao potencial de sua empresa e equipe?

 
 
  • Rodrigo Calazans

Aptidão Cognitiva: Como o estresse pode afetar o desempenho cognitivo?

Continuaremos a compartilhar o material de Performance cognitiva publicado pela AWA (Advance Workplace Associates), relacionando o tema com os efeitos do stress na performance cognitiva segundo a Cambridge Cognition, uma empresa de tecnologia aplicada a estudos de neurociência.


Boa Leitura!


Retomando: "Cognição" é um termo científico para o funcionamento do cérebro humano.


Existem diversas funções de controle do cérebro humano conhecidas como "domínios". Existem cinco desses domínios que parecem ser os mais importantes e que podem ser medidos usando softwares apropriados.


Os principais domínios do cérebro humano são:


Atenção: a capacidade de focar a percepção nos estímulos visuais ou auditivos alvo e filtrar as distrações indesejadas.


Função executiva: a capacidade de planejar estrategicamente as ações, a abstração e a flexibilidade cognitiva - a capacidade de alterar a estratégia conforme necessário.


Precisão psicomotora e velocidade: tempo de reação / velocidade de processamento: funções relacionadas que lidam com a rapidez com que uma pessoa pode reagir a estímulos e processar informações.


Memória episódica: a capacidade de codificar, armazenar e recuperar informações. Na maioria dos estudos, a memória é dividida em memória de reconhecimento, recordação, verbal, visual, episódica e de trabalho. Cada tipo de memória possui tarefas específicas associadas a essa função de memória.


Memória de trabalho: é o sistema cognitivo responsável pela retenção e processamento de informações novas e já armazenadas, e é um processo importante para raciocínio, compreensão, aprendizado e atualização de memória.


Provavelmente, você pode ver que esses domínios são muito importantes se você estiver envolvido no trabalho do conhecimento. Por exemplo, se o domínio "Atenção" não for tão eficaz quanto possível, sua capacidade de se concentrar nas reuniões ou durante atividades de leitura, pode ser menor do que o esperado. Imagine se você estivesse em uma reunião com outras 4 pessoas e perdesse uma parte vital da discussão. Independentemente de quão boa seja sua memória, se as informações não estiverem chegando tão longe quanto sua memória, você não poderá recuperá-las. Portanto, se em alguma data futura você estiver lidando com um desses quatro colegas, eles podem supor que você absorveu as mesmas informações na reunião que ele e isso pode não ser verdade. Você percebe como esse desempenho mental ruim pode levar a uma potencial confusão. "Esse cara estava na mesma reunião que você e eu?"


Além disso, o ambiente no local de trabalho pode ser mais importante para você se o seu domínio de "atenção" for mais fraco do que a média nessa área. Você pode, por exemplo, ter uma maior necessidade de concentração e exigir um ambiente livre de distrações, enquanto outra pessoa pode ter concentração suficiente que lhes permita bloquear todo o resto.


Dependendo do seu cargo e papel, diferentes domínios têm um significado maior para a sua cognição e eficácia. Por exemplo, se você está envolvido em um papel em que a precisão e a velocidade são vitais, talvez se você é um piloto de uma companhia aérea ou um contador, o domínio velocidade e precisão psicomotora pode ser crítico para você. Se você é um líder sênior envolvido na determinação da estratégia ou do planejamento, a função executiva será mais crítica ao realizar processos cognitivos.


Você pode notar que, em um mundo onde o cérebro de seu pessoal é sua principal ferramenta na geração de valor, a capacidade cognitiva, o desempenho mental e a eficácia desses domínios cerebrais são muito importantes.


A Cambridge Cognition, empresa britânica de tecnologia em análise cognitiva, mediu como o estresse pode afetar o desempenho cognitivo, além dos impactos na saúde geral dos colaboradores.


Pesquisas afirmam que mais de 11 milhões de dias são perdidos no trabalho a cada ano por causa do estresse na Inglaterra; mas o que é estresse, como isso afeta o corpo e o cérebro? O mais importante, o que pode ser feito para minimizar qualquer impacto negativo no trabalho?


O que é estresse e por que ficamos estressados?


O estresse é uma reação emocional e fisiológica a eventos adversos e circunstâncias exigentes. Um certo nível de estresse pode ser útil para permanecer alerta e focado. No entanto, a exposição repetida a condições estressantes pode ter um efeito prejudicial à saúde física e mental.


De uma perspectiva evolutiva, a resposta ao estresse nos permite reagir a ataques e outras ameaças que eram abundantes nos tempos pré-históricos; como grandes predadores famintos vagando pelas planícies. Embora essa reação fisiológica e emocional altamente conservada seja essencial para a sobrevivência quando confrontada com um predador, ela é menos adaptativa quando confrontada com um dilúvio estonteante de prazos, e-mails e reuniões.


A natureza desafiadora do trabalho e o ritmo crescente da vida moderna significam que o estresse pode facilmente passar de um importante mecanismo motivacional para uma resposta inadequada e indesejada. Você pode começar a se sentir sobrecarregado, nervoso e no limite. Se o estresse estiver realmente se acumulando, insônia e dores de cabeça podem impedir que você esteja na sua melhor forma.


Que impacto o estresse tem em nossos corpos?


Sob condições estressantes, o sistema nervoso simpático e o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HPA) são ativados (McEwen, 2007). Isso resulta na liberação rápida de glicocorticóides e outros hormônios do eixo HPA. A atividade do sistema nervoso simpático e os hormônios do eixo HPA preparam o corpo para uma reação de luta ou fuga: glicose e outros recursos metabólicos ficam prontamente disponíveis, fornecendo reservas de energia adicionais; a capacidade pulmonar e a taxa de respiração aumentam, preparando o corpo para a ação; e a atividade do sistema imunológico aumenta, antecipando possíveis ameaças.


Como o estresse afeta nosso desempenho cognitivo?


Níveis elevados de ansiedade no trabalho e períodos prolongados de estresse podem causar uso excessivo de mediadores que ativam e desativam a resposta ao estresse (McEwen e Wingfield, 2003). Esse acúmulo de estresse é conhecido como "carga alostática" e pode afetar adversamente regiões cerebrais como o córtex pré-frontal medial e o núcleo caudado (Soares et al., 2012). A alta carga alostática está associada a distúrbios depressivos (McEwen, 2003) e pode apresentar-se numa alteração comportamental como um estado de vigilância aprimorada, equilibrada ou exacerbada pela preocupação constante.


A atrofia das regiões do cérebro, resultante da exposição repetida a condições estressantes, tem um custo cognitivo. De fato, a memória de trabalho, a atenção, a inibição da resposta e a flexibilidade cognitiva foram todos prejudicados pelo estresse (Girotti et al., 2017). No trabalho, as deficiências nesses domínios se traduzem em uma capacidade reduzida de se concentrar, controlar nossos impulsos, lembrar e planejar. Um estudo constatou que, quando os participantes eram submetidos a um teste de estresse em que eram solicitados a improvisar um discurso na frente da platéia por 10 minutos, sua capacidade de lembrar e planejar era reduzida após o teste, em comparação com o anterior (Luethi et al., 2008) Assim, o estresse dificultava o desempenho deles.


Como o estresse afeta funcionários e empregadores?


O Instituto Chartered de Pessoal e Desenvolvimento (CIPD) lançou recentemente sua décima nona pesquisa anual, que detalha uma série de descobertas cruciais sobre o estresse no local de trabalho.

No último ano, as ausências relacionadas ao estresse aumentaram em aproximadamente dois quintos das organizações, com as condições relacionadas ao estresse representando 54% de todas as ausências de longo prazo (CIPD, 2019). Das organizações que relatam um aumento nas ausências relacionadas ao estresse, mais de um terço atualmente não está tomando nenhuma ação para resolver o problema (CIPD, 2019). Normalmente, o RH pode realizar uma pesquisa pontual para avaliar o estresse; no entanto, é necessária uma coleta de dados mais frequente e detalhada para avaliar o impacto de quaisquer alterações ou intervenções no bem-estar dos funcionários.


O que os empregadores podem fazer para monitorar e apoiar seus funcionários?


Dada a nossa crescente compreensão do vínculo entre estresse e cognição; o monitoramento da função cognitiva pode fornecer informações objetivas sobre o impacto do estresse no trabalho.


Ao rastrear a cognição ao longo do tempo, podemos começar a criar uma imagem de como o estresse está afetando o bem-estar dos funcionários e a produtividade no local de trabalho. Embora não seja uma medida de diagnóstico, a avaliação da capacidade cognitiva destaca possíveis áreas de preocupação, o que é um ponto de partida útil para os profissionais de saúde ocupacional. O resultado é direcionado, intervenções precoces para os indivíduos afetados.


Em sua empresa, existem ações de acompanhamento e redução dos níveis de estresse? Como isso se reflete no ambiente de trabalho? Há alguma implicação no espaço físico?


Entre em contato para saber como podemos ajudar.


Fontes:

https://www.advanced-workplace.com/cognitive-fitness-2-cognition/

https://www.cambridgecognition.com/blog/entry/can-stress-at-work-affect-cognitive-performance



imagem de freepik.com

Laptop & Coffee

Vamos marcar um café?

Um café e boa conversa, sempre fazem bem.

São Paulo - SP