Meeting the Staff

Workplace Strategy Trends

Seu escritório como catalisador de cultura, performance e engajamento

Estamos em meio a um processo de mudança social jamais observado. São cada vez mais comuns os métodos de gerenciamento que reconhecem as necessidades holísticas das pessoas e buscam fomentar o melhor resultado e desenvolvimento dos indivíduos e de suas organizações.

Como atender aos talentos das novas gerações? Quais as ferramentas de suporte tecnológico, físico, cognitivo e emocional adequados às demandas particulares destes indivíduos? Se você espera resultados extraordinários, oferece ferramentas equivalentes ao potencial de sua empresa e equipe?

 
 
  • Rodrigo Calazans

Espaços de Coworking Corporativo e Ecossistemas de startups

Atualizado: 10 de Mar de 2019


O trabalho em espaços de coworking vem se tornando cada vez mais popular como uma nova forma de pensar o ambiente de trabalho.


Segundo o Censo 2018 do site coworkingbrasil.org, no Brasil, contam-se 1.194 espaços conhecidos, de cinquenta a cinco mil metros quadrados, tanto nas capitais qunato no interior. No mundo todo, estima-se que já existam mais de 4.000 espaços em funcionamento.


Todo esse êxito é produto de uma ideia simples: profissionais independentes que procuram um espaço democrático em que possam desenvolver seus projetos sem o isolamento do home office ou as distrações de espaços públicos.


Oito principais tendências na indústria de coworking


Recentemente, a Coworking Resources foi convidada para falar sobre as principais tendências da indústria de coworking por uma grande rede nacional de coworking em seu encontro anual. Com os fundos de capital de risco investindo cada vez mais dinheiro na indústria, os donos de empresas independentes entrando no mercado e mais ferramentas tecnológicas servindo espaços de trabalho compartilhados, estamos à beira de uma grande ruptura nos negócios imobiliários.


1: O mercado imobiliário está se tornando uma experiência sob demanda

Muitas empresas com as quais trabalhamos mudam a cada 18 a 24 meses. Os contratos de dez anos fazem cada vez menos sentido a cada momento. As empresas estão à procura de soluções rápidas, e não há tendência mais visível do que a imobiliária que se adapta às necessidades das empresas - e não o contrário. O mercado imobiliário é agora um produto sob demanda.


2: O coworking não é uma aventura - é um gerenciamento moderno de instalações

O coworking tem sido frequentemente usado como uma escolha de estilo de vida ou uma moda passageira por seus usuárioss. O oposto é verdadeiro; os grandes players da indústria constroem locais privilegiados nas cidades.


3: A tecnologia pode criar uma experiência de cinco estrelas

Você não pode e não deve querer contratar uma equipe de gerenciamento de 20 pessoas por local. O uso inteligente das tecnologias certas evita problemas, cria uma experiência superior e pode reduzir a sobrecarga.


4: Grandes corporações estão adotando coworking

Vimos postos avançados de grandes empresas que começaram a trabalhar em espaços menores de coworking. Mas isso revela uma tendência oculta e importante: quando grandes empresas começam a planejar novas instalações, elas começaram a incorporar o coworking como parte de seu conceito central, em oposição à construção de complexos gigantes para uma massa de colaboradores.


5: grandes espaços de coworking não podem usar as mesmas ferramentas

A maioria das ferramentas de coworking foi construída para espaços destinados a entre 20 e 200 membros. Se você expandir para operar 10 espaços com 400 membros cada, por exemplo, precisará repensar sua infraestrutura existente.


6: Coworking não deve ser uma competição

Depois de trabalhar entre muitos espaços de coworking em uma cidade, deve ficar claro que você não está competindo pelo melhor imóvel absoluto ou por trazer o maior número de trabalhadores. Existem membros em potencial para todos, especialmente porque cada espaço se diferencia. Concorrência não é o objetivo; comunidade, no entanto, é.


7: A tecnologia determina a rapidez com que você pode crescer

Se você está contratando uma equipe de operações de grande porte para ajudar com cada pequeno problema, é provável que você tenha problemas para escalonar esse modelo. Automatize o máximo possível de sua integração e exclusão, garantindo a alta experiência dos membros. Isso define a rapidez com que você poderá dimensionar (sem muitas adições de equipe).


8: Você deveria ter um engenheiro

Alguém precisa conectar todas as APIs, configurar a infraestrutura de TI, garantir que o espaço seja seguro e manter seus próprios dados seguros. Esses são aspectos não negociáveis ​​da indústria de coworking. Contratar um engenheiro de automação de escritório cuidará de todas essas necessidades e mudará sua equipe principal para melhor.


Artigo publicado pela Cushman & Wakefield lança um olhar sobre o coworking no Brasil.


“Coworking como uma forma de economia compartilhada na sua forma original, é voltada para profissionais independentes, freelancers, startups e profissionais temporários que buscam liberdade e independência. As ofertas que vão do básico ao alto design, espaços abertos, salas de reunião, estações de trabalho rotativas. Modalidades de aluguel por hora, dia ou mês, e por mais tempo com uso compartilhado de infraestrutura por exemplo TI, impressora, chá / café e áreas de descompressão com puffs e poltronas”


Bancos de varejo tradicionais utilizam cada vez mais espaços de uso compartilhado tanto por equipes internas quanto para receber clientes, como o Work/Café do Santander, onde empresas correntistas podem utilizar o espaço para reuniões com seus times ou clientes.


Outro modal é o coworking como aceleradora de startups exemplo é o Inovabra Habitat, do Bradesco. No caso de coworking corporativo iniciado internamente, as empresas criam nativamente o seu próprio espaço de coworking, seja dentro de uma área específica ou em um prédio especialmente projetado para essa função.


Segundo o estudo da Cushman, alguns programas de aceleração e incubadoras convidam freelancers e startups a se engajar no desenvolvimento de produtos a curto ou longo prazo, muitas vezes fazem parte dessa estratégia corporativa de coworking.


“A empresa mantém amplo controle sobre o espaço e os usuários externos convidados. Ao mesmo tempo, assume o risco de custo total e requer um operador ativo (por exemplo, no que diz respeito à ligação em rede com outros espaços, se desejado). Dentro de sua própria força de trabalho e externamente, a empresa se posiciona como um representante consistente de novas formas de trabalho.”


Uma pesquisa recente da Gensler, empresa de arquitetura americana, apresenta o quanto a liberdade de escolha do local de trabalho, sendo o coworking uma das opções, aumenta o nível de engajamento do colaborador.


O coworking existe há algum tempo, mas como uma estratégia de trabalho para grandes empresas e seus funcionários em tempo integral, é um novo player. Atualmente, um em cada sete dos entrevistados na pesquisa - que representam funcionários em tempo integral de empresas com mais de 100 pessoas - usa espaços de coworking por pelo menos uma parte de uma semana normal de trabalho.


Em média, a maioria dos trabalhadores que usa espaços de coworking o utiliza por menos de um dia por semana - para a maioria, o coworking funciona como um espaço de trabalho alternativo, não o primário. E trabalhar a partir de um espaço de coworking parece ter um impacto positivo na eficácia e na experiência dos funcionários - as pessoas que usam espaços de coworking têm resultados significativamente mais altos em comparação com aquelas que não usam. Curiosamente, no entanto, o tempo gasto em espaços de coworking não mostra uma correlação com o desempenho. O acesso é o que é importante, mas não quanto tempo eles trabalham lá.


Os espaços de coworking estão claramente se encaixando no mercado, mesmo para funcionários em tempo integral que também têm locais de trabalho dedicados - eles oferecem variedade adicional em ambientes de trabalho e incentivam os funcionários a trabalhar fora do escritório por uma parte de suas semanas, ambos comportamentos que conectar-se ao maior desempenho em nossa pesquisa. Mas isso não significa que eles estejam substituindo os locais de trabalho tradicionais. No momento, eles são mais uma comodidade do que um substituto do local de trabalho.


Como sua empresa utiliza esse modo de trabalho como ferramenta estratégica? Quais as necessidades dos colaboradores podem ser atendidas por essa modalidade?


Entre em contato para saber como podemos ajudar.


Fontes:

https://coworkingmag.com/blog/coworking-trends-futuristic-spaces/

https://www.gensler.com/14-percent-of-corporate-workers-use-coworking-spaces

http://www.cushwakebrasil.com/coworking-criativos-corporativos/?utm_source=newsletter&utm_medium=banner&utm_campaign=Coworking_artigo

https://coworkingbrasil.org/censo/2018/


Foto por Yanalya em freepik.com

Laptop & Coffee

Vamos marcar um café?

Um café e boa conversa, sempre fazem bem.

São Paulo - SP